Verminose é uma doença provocada por parasitas, especialmente Endoparasitas, ou seja, aqueles que vivem no interior do corpo do humano.
Constitui-se uma doença frequente e que acomete o ser humano de forma irrestrita.
É observada nas crianças e nos adultos, em ambos os sexos, em todas as classes sociais, tanto na zona rural como nas cidades.
As consequências decorrentes destas doenças podem representar grande danos à saúde do indivíduo, podendo ser letal.

Prevenção
A prevenção constitui-se a forma mais segura e eficaz contra estas infecções.
As orientações encontradas neste texto são de importância para todos os pacientes.
As verminoses mais frequentes são: ascaridíase ou lombrigas, teníase ou solitária, oxiuríase, tricuríase e ancilostomíase ou amarelão.
Outras menos frequente e que também são importantes, principalmente devido ao quadro clínico de alto risco para o paciente, são a estrongiloidíase, esquistossomose, filariose e hidatidose.

Principais sintomas
Os principais sintomas relacionados com as verminoses são: cólicas abdominais, enjoo, mudança do apetite, falta de disposição, fraqueza, emagrecimento, tonturas, vômitos, diarréia com ou sem perda de sangue ou fome constante.
Verminose não é somente um problema que afeta pessoas de baixa renda, encontra-se em todas as camadas da população.
As boas práticas de higiene pessoal são ainda a melhor forma de combater as verminoses, além do saneamento básico e o controle de qualidade nos restaurantes, bares, lanchonetes, agricultura, escolas, produtores de água mineral, filtros de água e tudo que se relacione à veiculação de água e alimentos.

Consequências das verminoses
O mais comum é a desidratação causada pela diarréia e vômito, que ocorrem na fase aguda da doença.
Outras condições também são descritas em consequência as verminoses: obstrução intestinal, retardo do desenvolvimento físico, comprometimento do comportamento na infância, e anemia cada vez mais grave.

Modo de contágio
As verminoses são transmitidas por alimentos contaminados, frutas e verduras mal lavadas, água contaminada, carnes cruas ou mal cozidas, mãos sujas, objetos contaminados como, por exemplo, as chupetas, brinquedos, copos, pratos, talheres.
Menos frequente é a contaminação pela poeira, lombriga, e através da penetração direta pela pele como no caso do amarelão e da esquistossomose.
Devido aos riscos de uma disseminação em grande escala é indispensável existir e manter um sistema de controle sobre as verminoses, incluindo:
Tratamento e controle da qualidade da água do abastecimento público;
Aumento da área coberta por abastecimento público de água e esgoto sanitário;
Controle rigoroso das condições de saúde dos trabalhadores envolvidos com o manuseio de alimentos;
Limpeza adequada e rotineira dos reservatórios de água;
Campanhas de orientações sobre o tema, com programas voltados para a prevenção.

Prevenção
A prevenção corresponde a melhor forma de proteger a saúde contra as verminoses.
Algumas medidas simples são suficientes, tais como:
Lavar bem as mãos sempre que usar o banheiro, ou antes das refeições;
Conservar as mãos sempre limpas, unhas aparadas, e evitando colocar a mão na boca;
Beber somente água filtrada ou fervida;
Lavar bem os alimentos antes do preparo, principalmente se forem consumidos crus;
Andar somente calçado;
Comer apenas carne bem passada;
Não deixar as crianças brincarem em terrenos baldios, com lixo ou água poluída;

Manter limpa a casa e o terreno em volta, evitando a presença de moscas e outros insetos;
Comer somente em lugares limpos e higiênicos;
Realizar exames parasitológico e tomar vermífugo.
Do ponto de vista da comunidade a prevenção se faz através de:
Educação para a saúde;
Lavar bem os alimentos e ter um bom tratamento de rede sanitária;
Proibição do uso de fezes humanas para adubo;
Saneamento básico a toda a população;
Condições de moradia compatíveis com uma vida saudável.
Coleta de lixo em toda a população, evitando a presença de moscas, baratas…

 

© 2019 Lemos Laboratórios. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por CriaTec